Notícias

Nenhum comentário

O pastor Paulo ministrou palavra sobre missões na manhã de sábado do Congresso do Diante do Trono

Na manhã deste sábado (30), aconteceu o último dia do Congresso Diante do Trono, Adoração, Intercessão e Missão 2018, em comemoração aos 20 anos de ministério, no Templo sede, da Lagoinha, em Belo Horizonte (MG). A pastora Ana Paula Valadão Bessa, com muita alegria, falou sobre gratidão por tudo o que o Senhor tem feito até aqui, e enfatizou a importância da Páscoa, que significa passagem, sendo um divisor de águas. O momento de louvor ficou por conta do pastor André Valadão e dos integrantes do grupo de louvor do DT. Ana Paula adorou o Senhor Jesus junto com seu irmão André. Ana Paula diz que todas as vezes que adorava com seu irmão era liberada uma unção que nunca viu igual.

Bate-Papo: “Diante do Trono – 20 anos em Missões”

Com a participação de Ana Paula, do pastor João Gomes, da pastora Imaculada Alvino e de Sarita, da Índia, uma das mais de 500 meninas que foram cuidadas pelo projeto missionário DT, aconteceu o Bate-Papo: “Diante do Trono – 20 anos em Missões”. O pastor Joãzinho, que já foi responsável pelas viagens de curto prazo do DT, contou sobre o início do CTMDT, sobre o trabalho que realizou nos povos nos ribeirinhos, sobre o seu casamento aos 47 anos e sobre a abertura de sua nova agência missionária que será inaugurada com uma viagem do DT.

Já a pastora Imaculada contou sobre como, mesmo sem treinamento e experiência, Deus a chamou para as missões. Ela falou sobre o testemunho de 82 pessoas que aceitaram Jesus, mas que não havia ninguém para cuidar dessas vidas. Contou também sobre suas experiências na Índia. Imaculada não sabia falar inglês, mas aprendeu a falar através da fé, decorando 10 palavras por dia. Disse que a Sarita, chegou tão magrinha, suja e triste para ser cuidada.

Ana disse que, após um período de jejum de 40 dias do pastor Gustavo Bessa, Deus disse para voltar ao primeiro amor que era o trabalho na Índia. Ela também realizou um longo período de jejum. Esse jejum rompeu coisas na via dela. Ela falou que crê que essa manhã é um resgate e um desatar de coisas novas.

Em outro momento, Ana apresentou o artista plástico Diego Mendonça, conhecido internacionalmente. A voz do Senhor o conduziu a pintar um quadro sobre a Índia. Ele pintou uma menina segurando uma gaiola aberta com os pássaros voando e tirando as amarras, sendo liberta espiritualmente com o trabalho da missão DT. Ele fez a doação dessa obra para a missão DT, além de réplicas com gravuras desse quadro.

Testumunho da Sarita, menina da missão DT, na Índia

A indiana Sarita, representando todas as meninas da Índia, testemunhou a respeito do privilégio de estar no congresso. O Senhor quer a gente se alegre e regozije. Como alguém que pode se alegrar em saber que não foi amado, viu o pai morrer e a mãe em depressão. Ela orava mesmo sem conhecer a Deus, e se perguntava: “será que Deus existe?”. Um dia abriu a porta e viu uma mulher com grande sorriso, era a missionária Imaculada, que a abraçou e a beijou, sem ter preconceito da sua pele, e disse você é muito amada. Ela aprendeu, dentro do projeto, a ter dignidade.

Palavra sobre missões

O preletor desta manhã foi o pastor Paulo Oliveira, que trabalhou no projeto de missões do DT, na Índia e que há 50 anos que está servindo a Deus. Ele diz ser um ex-bandido, que esteve preso, foi considerado um elemento irrecuperável na sociedade e disse que, um dia na cadeia, apareceu um jovem cantando “Foi na cruz, foi na cruz…”. Ele saiu de lá com uma semente no coração. E no dia 24 de maio de 1967, em um culto caseiro, ouviu o mesmo hino e entregou sua vida para Jesus.

Após ter casado, Deus o chamou para trabalhar com índios. Deus chamou ele e a esposa para missões. Já visitou 22 países mesmo sem falar inglês. Veio o desafio de ir para a Sibéria ajudar treinar obreiros e dar para eles a visão, tive a experiência de conhecer os descendentes dos torturados por amor a Cristo. “Foi chocante ver como aquele povo tem fé, tem vida, cheguei envergonhado no Brasil. Voltei para o Brasil, chegando em casa, fui orar e questionando a Deus porquê eu? Um ex-bandido, um semi-analfabeto? E eu fui dando o meu currículo para Deus. E Deus falou comigo, eu não posso usar quem não está nas minhas mãos, eu só uso quem está nas minha mãos, os outros são melhores do que você, mas estão na prateleira, é você que quero usar”, afirmou o pastor.

Ele também foi para Índia. Ele viu muitas prostitutas e diz que o Diante do Trono investiu no trabalho com aquelas meninas. No projeto DT, as crianças eram cuidadas na questão espiritual, saúde, alimentação, lazer e educação. Uma menina que chegou de uma forma muito suja com urina e fezes. Deus restaurou essa menina e era a mais alegre do projeto. No fim, ele fez uma chamada para aqueles que têm paixões por alma. A pastora Ezenete Rodrigues orou pelas pessoas que se renderam a Cristo para cumprir o chamado de Jesus.

:: Comunicação Lagoinha/ Diante do Trono