Notícias

Nenhum comentário

Conheça o roteiro da Caravana e Gravação DT 2017

ROTEIRO VIAGEM Jordânia / Israel

Israel_TowerofDavid2

Dia 01 – 12 de Junho (Segunda-Feira) Brasil – Amman

Apresentação no aeroporto internacional do Rio de Janeiro e/ou de São Paulo para embarque rumo a Jordânia. Dia ou noite a bordo.

Dia 02 – 13 de Junho (Terça-Feira) Amman – Petra

Chegada, recepção e traslado ao hotel em Petra. Hospedagem. Jantar.

Dia 03 – 14 de Junho (Quarta-Feira) Petra – Wadi Rum – Little Petra

Café da manhã. Sairemos para visitar o deserto de Wadi Rum, também conhecido como ‘”O Vale da Lua”, este é o local onde o Príncipe Faisal Bin Hussein e T.E. Lawrence fixaram o seu quartel-general durante a Revolta Árabe contra os Otomanos, na Primeira Guerra Mundial, e as suas proezas estão intrinsecamente ligadas à história desta região. É um local fenomenal, atemporal e praticamente intocado pelo homem e pelas suas forças destrutivas, ponto obrigatório para qualquer visitante da Jordânia. O povo beduíno que habita a zona ainda conserva o seu estilo de vida semi-nômade. São hospitaleiros e dão as boas vindas acolhedoras aos visitantes, frequentemente convidando-os para saborear um café ou um chá. Aqui, foram as condições meteorológicas e o vento que esculpiram estes arranha-céus imponentes, descritos com elegância por T.E. Lawrence e que teremos a oportunidade de apreciar durante o nosso passeio em veículos 4×4. Após a refeição típica com os beduínos regressamos a Petra, importante enclave arqueológico na Jordânia, situado na bacia entre as montanhas que formam o flanco leste de Wadi Araba, o grande vale que vai do Mar Morto ao Golfo de Aqaba, perto do Monte Hor e do Deserto de Zin. Patrimônio mundial da UNESCO foi considerada em 2007 uma das Novas sete maravilhas do mundo. A região onde se encontra Petra foi ocupada por volta do ano 1200 A.C. pela tribo dos Edomitas, recebendo o nome de Edom. A cidade de Petra era denominada Sela em edomita, nome que significa “pedra”, “penhasco” ou “rocha” nessa língua; Importante rota comercial entre a Península Arábica e Damasco (Síria) durante o século VI A.C., Edom foi colonizada pelos Nabateus (uma das tribos árabes), o que forçou os Edomitas a mudarem-se para o sul da Palestina, que passou a ter o nome de Idumeia, nome derivado dos idumeus ou edomitas. Durante o Êxodo, Moisés e os Israelitas passaram por aqui. A tradição local conta que a nascente em Wadi Musa (Vale de Moisés), à saída de Petra, foi o local onde Moisés bateu na rocha e fez sair água (Números 20:10-11). Aarão, irmão de Moisés e Miriam, morreu na Jordânia e foi enterrado em Petra no Monte Hor, hoje em dia conhecido por Jabal Harun em árabe (Monte Aarão). Regresso ao hotel. Noite especial na Little Petra, uma programação cheia de surpresas. Jantar de Gala.

Dia 04 – 15 de Junho (Quinta-Feira) Petra – Monte Nebo – Mar Morto

Café da manhã. Deixaremos Petra rumo ao Mar Morto, visitando o Monte Nebo, última estação da vida de Moises na sua trajetória entre Egito e a Terra Santa, tornou-se local de peregrinação para os cristãos primitivos de Jerusalém. Do promotório Moisés avistou a terra prometida, e hoje podemos ver o vale do Jordão e a cidade de Jericó. Teremos ali um período para ministração da palavra, oração e louvor. Almoço. Hospedagem. Tarde livre para banho nas águas do mar morto, usufruir das instalações do hotel e descanso. Jantar. Após culto preparatório para a gravação.

Dia 05 – 16 de Junho (Sexta-Feira) Jerash – Gravação

Café da manhã. Visita a antiga cidade de Jerash que tem uma história de presença humana que remonta a mais de 6500 anos. Fica numa planície rodeada de áreas arborizadas e montanhosas e de férteis bacias hidrográficas. Conhecida por Gerasa, hoje em dia, o local é considerado uma das cidades romanas da província mais bem preservadas do mundo. Escondida durante séculos na areia, antes de ser escavada e restaurada nos últimos 70 anos, Jerash é um belo exemplo do grandioso urbanismo romano que é encontrado por todo o Médio Oriente com ruas de colunatas e pavimentadas, templos altaneiros no topo das colinas, belos teatros, amplas praças públicas, banhos públicos, fontes e muralhas da cidade nervuradas por torres e portas. Almoço. Regresso ao hotel para descanso e preparação. No fim da tarde saída para participação na gravação. Regresso ao hotel. Jantar.

Dia 06 – 17 de Junho (Sábado) Visita ao campo de refugiados

Café da manhã. Pela manhã bem cedo saída para o campo de refugiados para levarmos a alegria do Senhor aos que tanto sofrem. Almoço. Regresso ao hotel para jantar.

Dia 07 – 18 de Junho (Domingo) Mar Morto – Vale do Jordão – Sheik Husseim – Nazareth Village – Tiberíades

Café da manhã. Deixaremos cedo o hotel, atravessando o vale do Jordão, fronteira natural, com destino a Sheik Husseim. Após as formalidades de imigração e alfândega estaremos na Terra Prometida. Partiremos então para Nazaré. Lá, Jesus passou a maior parte de sua vida – da infância à idade adulta. Aninhada pelo abraço protetor dos montes, na Galiléia, aquela que foi tempos atrás uma minúscula vila, é hoje moradia para cerca de 60 mil habitantes – a maior cidade árabe em Israel; Visitaremos o Nazareth Village – Reconstrução de Nazaré antiga onde Jesus cresceu, uma representação viva da vida, o tempo e os ensinamentos como na época de Jesus. A aldeia tem um centro de visitantes e contém achados arqueológicos. Ele reconstrói casas, uma prensa de azeite, e uma sinagoga no estilo do primeiro século da era cristã, e as pessoas caminham vestindo trajes da época. No almoço, uma refeiçao tipica da época de Jesus. Tempo para louvor e saida rumo a Galiléia. Chegada e hospedagem. Jantar

Dia 08 – 19 de Junho (Segunda-Feira) Monte das bem Aventuranças – Cafarnaum – Passeio de Barco – Yardenit – Noite especial

Café da manhã. Sairemos para visitar o Monte das Bem Aventuranças. Nas margens do Mar da Galiléia, está o monte onde Jesus proferiu o maior dos seus sermões. Com uma vasta planície e ótimas condições acústicas naturais, serve de mirante para paisagens de tirar o fôlego. Indo depois para Cafarnaum, cidade onde estava a casa da sogra de Pedro, a antiga sinagoga e onde Jesus operou inúmeros milagres. Conhecida como a cidade de Jesus por ele ter fixado ali residência. Almoço famoso Peixe de Pedro. Passeio de barco pelo Mar da Galiléia, com muito louvor e adoração. Finalizaremos nosso dia em Yardenit, local batismal a beira do Rio Jordão. Jantar. Após o jantar noite especial de surpresas.

Dia 09 – 20 de Junho (Terça-Feira) Tiberíades – Monte Carmelo – Sachne – Jerusalém

Café da manhã. Sairemos rumo ao Monte Carmelo onde o profeta Elias derrotou os profetas de Baal. Tempo para oração e ministração. Vista panorâmica da cidade e porto de Haifa. Almoço na aldeia druza de Daliat ElCarmel, e visita ao belíssimo Parque Nacional de Gan HaShlosha também conhecido pelo seu nome em árabe: Sachne que quer dizer: “Piscinas quentes”, pois as águas mantém a temperatura de 28º durante o ano todo. Tempo para banho nas piscinas naturais do parque. No fim da tarde entrada triunfal em Jerusalém pelo Monte Scopus. Tempo para orar por Jerusalém, abençoar a Terra Santa e cerimônia da benção do pão e do vinho. Traslado ao hotel. Hospedagem. Jantar.

Dia 10 – 21 de Junho (Quarta-Feira) Jerusalém – Cenáculo – Cardo – Bairro Judeu – Muro das Lamentações – Cidade de Davi – Túnel de Ezequias – Tanque de Siloé

Café da manhã. Iniciaremos nosso dia pelo Cenáculo, no Monte Zion, palco da última ceia com os discípulos e posteriormente descida do Espírito Santo. O Cenáculo reside no andar superior de um edifício no Monte Sião. O edifício foi poupado durante a destruição de Jerusalém sob Tito (70 D.C.), e três paredes originais ainda existem: a Norte, Leste e Sul. Aqui teremos um tempo para oração e seguiremos pelo bairro armênio em direção ao Cardo, descoberto após uma ampla escavação da década de 70 do século passado. O Cardo era a via principal da cidade de Jerusalém. A caminho do muro, andaremos pelo bairro judeu, apreciando as escavações da cidade antiga de Jerusalém, ate chegar ao Kotel – Muro das Lamentações ou Muro Ocidental, (Kotel HaMa’aravi) que é o local mais sagrado do judaísmo. Trata-se do único vestígio da esplanada do antigo templo de Herodes, erigido por Herodes o Grande no lugar do Primeiro Templo de Jerusalém. Ao lado poderemos avistar as escavações da Ofel e o Arco de Robinson. Almoço. A tarde visita as escavações da cidade de Davi considerada a parte mais antiga de Jerusalém. A presença da nascente d’água chamada de Gihon (em hebraico) foi o que impulsionou o desenvolvimento de uma civilização agrícola na região. Na parte superior da cidade foram achados prédios administrativos desde a época de Davi e na parte inferior o antigo túnel dos Cananeus que levava água para dentro da cidade, a partir da fonte de Gião. Mesmo após 3.000 anos de história podem ser vistas ali as marcas da presença do povo de Israel e do Rei Davi, estas marcas nem o tempo conseguiram apagar. O túnel de Ezequias, aberto pelo Rei Ezequias, escavado na rocha sólida, foi projetado para agir como um aqueduto para Siloé que é um marco situado na parte inferior da inclinação sul de Ophel, o local que fazia parte da antiga Jerusalém, a oeste do vale do Cédron e da antiga Cidade de Davi, agora ao sudeste (parte externa) das paredes da antiga cidade e onde após uma ordem de Jesus o cego foi curado.  Jantar.

Dia 11 – 22 de Junho (Quinta-Feira) Jerusalém – Belém – Campo dos Pastores – Casa de Caifás – Betesda – Monte das Oliveiras – Oração noturna

Café da manhã. Pela manhã saída rumo a Belém para visitar o Campo dos Pastores e a comunidade árabe cristã. Almoço. A tarde visita a casa de Caifás onde Jesus ficou detido e onde no pátio Pedro o negou 3 vezes; Tanque de Betesda: reservatório que ficava perto da Porta das Ovelhas, onde muitos doentes, como cegos e coxos, se juntavam aguardando que as águas se agitassem, sendo que o primeiro doente a entrar na água ficaria milagrosamente curado. Ali aconteceu um dos milagres de Jesus: a cura do paralítico. Fim de tarde no Monte das Oliveiras. Jantar. Finalizaremos a noite com oração em Jerusalém.

Dia 12 – 23 de Junho (Sexta-Feira) Jerusalém – Via Dolorosa – Jardim do Túmulo – Jantar de Gala – Encerramento

Café da manhã. Manhã dedicada a passear livremente pelo mercado árabe, judeu, Mamilla, etc. e aproveitar para fazer as tão esperadas comprinhas. Almoço. A tarde nossos últimos passos pela cidade santa: percorremos a Via Dolorosa desde a Porta de São Estevão ate o Portão de Damasco, fechando a tarde no Gólgota e o Jardim do Túmulo vazio, onde teremos momentos de oração e adoração. Regresso ao hotel. Jantar de Gala com muitas surpresas.

Dia 13 – 24 de Junho (Sábado) Jerusalém – Brasil

Café da manhã. Manhã de descanso até o horário de saída para o aeroporto. Embarque com destino ao Brasil ou visitas opcionais (Dubai / Turquia / Londres)

Dia 14 – 25 de Junho (Domingo) Brasil

Chegada e fim dos serviços. Que saudades… Nos despediremos no aeroporto certo de poder dizer missão cumprida e “Até o ano que vem em Jerusalém”.


Diante do Trono