Notícias

Nenhum comentário

Congresso DT Nordeste – Segunda pedrinha: A amizade – “Sexta-Feira” 21.07.17

O segundo dia do Congresso DT Nordeste foi um chamado especial aos líderes e pastores de João Pessoa e dos estados nordestinos vizinhos. O momento não foi exclusivo para os líderes todavia, desde o momento do louvor, feito por Fred Arrais, era possível sentir Deus chamando os líderes de igrejas ao colo do pai, onde estes podem ser apenas quem são, revelando suas fragilidades e medos.

O bate-papo desta sexta-feira teve o tema “Burn out. Por que pastores se esgotam?” e abordou diversos aspectos da vida ministerial. O pastor Gustavo Bessa trouxe ao bate papo estatísticas de perfis e de realidades variadas de pastores e seus familiares, assim como suas limitações, frustrações e expectativas. Gustavo revelou ainda um dado do site “burnout” que revela que 48% dos pastores nos Estados Unidos já divorciaram. “Nós trouxemos estes dados para que os pastores presentes aqui possam refletir e as ovelhas de cada igreja possam saber e entender o que é a realidade de muitos líderes de igreja”, disse o pastor.

Participante do bate-papo, o pastor da Primeira Igreja Batista de João Pessoa, Estevam Fernandes ponderou sobre a importância de tratar de assuntos como este. “Os dados trazidos aqui são realmente alarmantes mas é necessário cada dia mais entender que pastores são, antes de tudo, seres humanos. E isso acontece muitas vezes por não nos darmos conta de que todos nós temos limitações”.

No momento da pregação, o preletor da manhã, Gustavo Bessa deu continuidade à mensagem do bate papo, trazendo a 2a pedrinha: A Amizade e relembrando o momento em que o apóstolo Paulo escreve a segunda carta a Timóteo.

Ao relatar a relação de Paulo com Timóteo, o pastor mencionou o fato de que naquele tempo, o apóstolo Timóteo vivia uma estação de cansaço e desistência da vida ministerial. “Percebemos nesta carta que Paulo escreve uma ‘canção de esperança’ para Timóteo, lembrando a seu amigo de que apesar de ter sofrido tanto no ministério, ele ainda tinha um olhar de esperança para pregar o evangelho”.

Em “A Amizade”, o pastor Gustavo também relembra a relação de Paulo com Onesíforo e o quanto este fora importante nos momentos de prisão vividos por pelo apóstolo e a importância de ter um amigo com quem dividir os fardos, animar e receber ânimo.

O pastor ainda chamou os líderes para o quebrantamento e encorajou a cada um a serem como um “Onesíforo para os Paulos” e como um “Paulo para os Timóteos”.

Comunicação Diante do Trono